terça-feira, 8 de março de 2011

Projeto Vivencial - Gestão Escolar na Educação

PORJETO VIVENCIAL – GESTÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO.
O curso de formação de gestores escolares que estamos participando de formação em dois eixos básicos da Educação Básica de nosso Estado.
a) A educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado:
b) A gestão democrática da escola como meio indispensável à realização da finalidade social da educação.
Esses eixos que orientam nossa formação com uma compreensão de que a escola, em sua forma concreta de ser um espaço de busca de objeto de análise e manter intervenção dentro dos princípios metodológicos, adotando uma proposta de construção do conhecimento ao longo da vida. Inúmeras pesquisas sobre formação continuada de gestores, professores demonstrando a necessidade de que os espaços formativos, especialmente aqueles destinados a profissionais de gerenciamento que estão em serviços, tomem como ponto de partida a sua prática na escola. Embora a escola seja uma espaço que trata pertinente de formação de crianças e jovens adolescentes, nem sempre e compreendida adequadamente, levando a formação de caráter extremamente programático, centradas no “como fazer” ou limitadas às questões imediata do cotidiano escolar. Nessas perspectivas, a teoria é considerada supérflua e secundária, afirmando-se a primazia da prática como lugar por excelência da formação de educadores. O Projeto-Intervenção que propomos, deve ser compreendido e desenvolvido como ação conjunta, partilhada entre o gestor e o coletivo da escola. Trata-se de um projeto que desde sua proposição, passando pela elaboração e desenvolvimento no coletivo da escola. Desse modo, podemos criar formas e modos de concretizar e vivenciar os princípios de gestão democrática na escola. No campo educacional buscam essas modalidades de trabalho cientifico com bastante relevância de caráter pedagógico, que produzem novos encaminhamentos de cunho critico no campo de atuação. Esse momento destina ao esclarecimento dos objetivos da pesquisa, conhecimento das expectativas dos participantes, discussão sobre a metodologia do mesmo, divisão de tarefas e ações a serem discutidas no processo de Projeto Político Pedagógico da escola. Depende da pesquisa proposta o número de pessoas e de ações envolvidas para sua realização, bem como as condições de sua participação. Após esse levantamento os pesquisadores e participantes podem estabelecer os principais objetivos da pesquisa e definir o problema a ser estudado e as pessoas envolvidas, o campo de intervenção e o processo de investigação-ação e do projeto-intervenção os problemas devem ser de ordem prática, posto que se pretende alcançar mudanças ou transformações em uma determinada situação. Delimitar o marco teórico é fundamental para dar suporte de interpretação de situação e construir hipóteses ou diretrizes, orientadoras de pesquisas. A hipótese na pesquisa ação dá-se sob a forma de diretrizes que podem orientar a ação, tanto no que se refere as estratégias como os recursos a serem utilizados como meio ou caminhos para se obter os objetivos. As principais técnicas utilizadas na pesquisa-ação são as entrevistas grupais e a entrevista individua, realizada de modo aprofundado. Outras técnicas podem ser associadas, questionários, quando aplicado a um número grande de pessoas, análise de documentos, observação de participantes, diário de campo ou diário de bordo.
Manoel Bernardo Ferreira / Maria de Fátima do Nascimento da Silva
Escola Estadual Profª Joana Honório da Silveira Moura- Angicos -RN

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial